sábado, 25 de setembro de 2010

Júlio Emílio Braz – Sikulume e outros contos africanos


Júlio Emílio Braz – Sikulume e outros contos africanos
Por Ricardo Riso

Desprezados e suprimidos do imaginário nacional por causa de uma sociedade que não assume a porção afro-descendente em sua formação e tenta renegar qualquer manifestação da cultura negra, as lendas e contos africanos até hoje são ignorados por nossas escolas. As justificativas vão desde a falta de conhecimento dessa literatura a absurdos ataques referentes à bruxaria, magia negra etc., que tais narrativas podem conter, o que escancara o preconceito no país da democracia racial.

Diante de um quadro desigual, torna-se fundamental destacar a relevância de um livro como Sikulume e outros contos africanos, adaptado por Júlio Emílio Braz e ilustrado por Luciana Justiniani. O livro é composto por sete contos que resgatam uma África ancestral, na qual habitantes de pequenas aldeias convivem com animais falantes, monstros imensos e assustadores que engolem aldeias inteiras, canibais agressivos e de apetite insaciável, para além de explicar o surgimento de astros como o sol e a lua, e questões de ordem ontológica como a origem da morte.

Os contos demonstram ao pequeno leitor a importância de se respeitar as tradições, as orientações dos mais velhos e os castigos quando elas são descumpridas; são destacadas qualidades como a lealdade, a coragem para se enfrentar os perigos e defender os seus pares; as consequências da má conduta e de um comportamento orgulhoso, assim como o uso da mentira, dentre várias outras situações que ajudam a instruir os pequeninos. Também são inseridas cenas do cotidiano de pequenas aldeias, suas relações sociais, a importância dos líderes e a sapiência em conduzir seus povos.

Embora as ilustrações de Luciana Justiniani sejam formadas por traços sem excessos, figuras cruas e objetivas, elas alcançam ótimos resultados, pois mostram passagens essenciais das narrativas, demonstram com clareza o horror dos monstros e destacam cenas do cotidiano.

As felizes adaptações de Júlio Emílio Braz para o livro Sikulume e outros contos africanos renovam o compromisso da Pallas Editora de divulgar as matrizes africanas em nossa cultura. Portanto, trata-se de mais um título que atende aos textos das leis 10.639/2003 e 11.645/2008.


Sikulume e outros contos africanos
De Júlio Emílio Braz
Ilustrações de Luciana Justiniani
Rio de Janeiro: Pallas Editora, 2008

2 comentários:

Denise Guerra disse...

Oi Ric, nossa escola de Japeri está trabalhando com o autor Júlio Emílio Braz o ano todo nos nossos projetos de africanidades desde 2009. Ele esteve na culminância dos projetos conosco em 2010 e este ano de 2011 estará novamente. A obra dele é muito interessante e trata de diversos temas discriminatórios além de ele ser uma pessoa muito simples e cativante. Muito bom compartilhar informações sobre a obra de uma pessoa com este contexto. Bjs!

Ricardo Riso disse...

Fico feliz por saber dessas informações do Braz, Denise! Ótimo quando o autor possibilita esse contato. Sucesso nos vários projetos que você idealiza para os pequeninos.
bjs!