segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Inveja dos Anjos - memória, encontros e despedidas emocionam a nova montagem da Armazém Cia. de Teatro

Ricardo Riso

Em um cenário atravessado por trilhos de trem que toma todo o palco da Fundição Progresso, a Armazém Cia. de Teatro realiza o belo e comovente Inveja dos Anjos.

O texto reúne histórias intercaladas de pessoas comuns, excessivamente simples, que vivem em uma cidadezinha qualquer e repassam cenas do cotidiano, acontecimentos que movem os relacionamentos humanos acompanhados de seus encantos e desencantos com seus afetos, desejos e frustrações com a vida. Por outro lado, são pessoas que nos comovem pela dignidade ao encarar suas alegrias e tristezas.

Como ponto comum entre os personagens, a memória. Em um exercício constante de revisitar o passado, eles procuram reconstruí-lo sem temer uma futura e velha decepção. Vivenciam os reencontros com esperança renovada e absorvem as partidas, as despedidas da melhor maneira possível seguindo em frente. Com isso, a importância do cenário. As idas e vindas das pessoas, do trem que chega e parte durante toda a encenação, torna o cenário vivo e fundamental nos constantes encontros e despedidas.

Peça sobre trilhos, Inveja dos Anjos emociona por tocar nas contradições humanas, nos acertos e erros da convivência com o outro. Ao expor variados sentimentos e seus desdobramentos nas vidas de pessoas tão simples, Inveja dos Anjos convida o espectador a sentar em “um dos vagões do trem e, pelas pequenas janelas, pudesse acompanhar um pedaço do filme da vida – que passa ligeira a sua frente”, como escreve o diretor Paulo de Moraes no catálogo da peça.

Inveja dos Anjos é teatro da melhor qualidade e consolida a Armazém Cia. de Teatro como a grande companhia da atualidade.

A peça retornará à Fundição Progresso no dia 8 de janeiro de 2009. Imperdível!

2 comentários:

Flávia Muniz disse...

Assisti hoje! Muito boa mesmo!


pensei em escrever sobre mas achei seu blog...


valeu!

Ricardo Riso disse...

Excelente peça, Flávia!
Obrigado pela visita!
Abraços,
Ricardo Riso