sexta-feira, 12 de março de 2010

Glauco - 1957/2010



Glauco Villas Boas foi uma das figuras que admirava na adolescência. Acompanhava suas tiras nas saudosas revistas Chiclete com Banana e Circus, que depois espalharam-se nas edições especiais de Los 3 Amigos e Geraldão, esta sob comando do próprio Glauco.

A maneira atrevida e corajosa como os personagens criados por Glauco lidavam com sexo e drogas era hilariante, entre vários, os grandes destaques ficavam para Geraldão e as ciumeiras do casal Neuras. Seu traço era simples, ágil, neurótico e tosco complementava os temas transgressores, as vidas inusitadas e desregradas de seus personagens.

Recordar Glauco é repassar momentos da minha adolescência nos anos 1980. É lembrar de comprar todo mês as revistas, os sorrisos e gargalhadas que as histórias extraíam de mim. É lembrar de comentá-las e divulgá-las com os amigos. É rememorar os diversos momentos felizes associados a suas histórias.

Tenho uma passagem com Glauco. Não lembro em que ano foi, mas houve uma feira de HQ’s no Espaço Cultural dos Correios (ECC - Rio de Janeiro) e naquela ocasião tive a oportunidade de falar com Los 3 Amigos - Angeli, Glauco e Laerte - em momentos diferentes daquela tarde. Pedi para que cada um desenhasse o seu respectivo personagem, o que foi muito bem atendido por eles. Glauco foi o último e o seu personagem debochava o do Laerte, ficou hilário. Perdi o desenho com o passar dos anos, mas ficou a generosidade dos três.

O cartunista e Raoni, seu filho de 25 anos e também cartunista, foram brutalmente assassinados após tentativa de assalto à residência da família, nesta madrugada, em São Paulo. Os dois mortos são vítimas dessa sociedade louca, desesperada e violenta em que vivemos. Infelizmente é assim em nosso país: a violência aumenta e somos reféns do medo. Enquanto houver essa absurda desigualdade social nos aproximaremos do caos.

Deixo aqui a minha revolta com a maneira como o cartunista nos deixou. Deixo o meu respeito e pêsames aos seus familiares.

Para quem me proporcionou tantas alegrias, hoje me deixou entristecido. Choro.

Glauco, obrigado pelos momentos bons que você me fez passar.

Glauco e Raoni, fiquem em paz!

Ricardo Riso

1a. imagem retirada de http://www.uol.com.br/
2a. imagem - Desenho do cartunista Alessandro Guarita, retirado de

2 comentários:

DIÁRIO DA LUIZA disse...

Olá
Li a reportagem de hoje e quem matou e está foragido, foi um amigo do filho que usava drogas e estava muito louco querendo que o Glauco o ajudasse a se libertar das drogas, segundo o jornal A Gazeta, aqui do meu estado Espírito Santo, o jovem pediu ao cartunista que fosse até a casa da mãe dele para falar para ela que seu filho era Jesus Cristo
Abraços
Luiza

Ricardo Riso disse...

Pessoas desesperadas, drogas e religião... muitas vezes não consigo diferenciá-las.
Obrigado pelo comentário, Luiza.
Abraços!