quarta-feira, 16 de junho de 2010

Um outro 16 de junho que não deve ser esquecido

por Ricardo Riso

16 de junho de 2010, Copa do Mundo de Futebol sendo realizada na África do Sul. Em meio ao evento, torna-se imperioso recordar o que aconteceu há exatos 34 anos. Naquela época, o país vivia sob o tenebroso e injustificável regime do apartheid promovido pela minoria branca conhecida como afrikander.

No dia 16 de junho de 1976 um grupo de estudantes negros organizou uma passeata em Soweto para protestar contra a imposição do ensino do idioma dos brancos, o afrikanns, junto à língua inglesa nas escolas somente frequentadas pelos negros. Como resultado, a repressão violenta e estúpida por parte das autoridades regidas pelo apartheid aos estudantes, que combatiam o mais cruel meio assimilacionista: a imposição da língua.

No fim, em torno de 500 pessoas foram assassinadas, sendo que, dentre os mortos, o jovem de 13 anos, Hector Pieterson acabou entrando para a História por causa de uma foto que o mostra agonizando nos braços de outra pessoa. Essa imagem correu o mundo e provocou a revolta dos negros sul-africanos em diversos pontos do país.

Isso só para relembrar o quanto foi difícil e tortuoso o caminho até o fim do apartheid em 1990. Se hoje ocorre o maior evento do mundo na África do Sul, não devemos esquecer o que a população negra deste país sofreu até chegar a este 16 de junho.

6 comentários:

lita duarte disse...

Oi, Ricardo.

Como vai?

Fatos históricos que não podem ser esquecidos.
Se hoje há uma grande festa na África do Sul, é devido a luta incessante daqueles que desejavam dias melhores.
Infelizmente muitos pagaram com a vida.

Grande amigo, Ricardo.

Beijos.

Ricardo Riso disse...

Olá, Lita! Tudo bem por aqui, e com você?
Necessário divulgar, conhecer...
abração!!!

Canto da Boca disse...

A exposiçao da África do Sul, para o mundo, ainda é pouco, mas dias melhores estão por vir. Sonho com o momento de liberdade genuína para todos os povos impedidos de exercerem sua soberania e liberdade, de viverem em respeito as suas diferenças e suas diversidades.

Agradecemos a existencia de pessoas como tu, e tantos outros que incansáveis, não deixam uma história de luta, de dor, de injustiça e de humilhação cair no esquecimento.

Um grande abraço!

o gordo disse...

Grande post, Ricardo.

Abraços.

Ricardo Riso disse...

Prezada Canto da Boca, muitíssimo obrigado pelo seu comentário. Incomoda-me essa memória seletiva que busca apagar as dores permanentes dos povos oprimidos. Temos que relembrar sempre aquilo qeu a "história oficial" procura ocultar.
Obrigado pela visita, O Gordo!
Grande abraço para vocês!

Nayara Xavier disse...

Ricardo, querido Ricardo! à um tempo não nos comunicamos. [esperando ainda um "parabens" seu.. (risos). Sem problema, tá?]
Me chamou muito atenção essa foto, e seu texto, naturalmente. Incrivel você ter tirado essa fotografia. Muito bom. Depois te escrevo mais... Essa copa é tudo isso que você fala mesmo.